A crítica social por trás dos desfiles da Moschino - Drops das Dez
moschino

A crítica social por trás dos desfiles da Moschino


Postado por Drops Team em 26/10/15 ás 3:50:pm


CAIXA DEJEOS A VOCÊ

desfile-de-criticas-moschino

Desde que Jeremy Scott foi convidado para ser o diretor criativo da Moschino, a grife italiana tem recebido um destaque enorme. Os desfiles coordenador por Scott carregam um toque de crítica social gritante e acredito que você já deve ter notado, certo?

Primeiro desfile de Jeremy Scott para Moschino

O primeiro desfile que marca a entrada de Jeremy Scott à grife trouxe diversas discussões que envolvem o consumismo, tais como a entrada do fast fashion como mania mundial e também os paradigmas que envolvem fatores alimentares, como a obesidade.

Fast Fashion no desfile da Moschino

O fast fashion, expressão que adquiriu vida e se intensificou bastante após o evento, ganhou um espaço no mundo fashion com o conhecido internacionalmente, fast food, no desfile, em particular, do Mc Donald’s. Nas peças, o M mais usado pela marca transformou-se no M da Moschino. Outro detalhe é a mistura da estampa de vaquinha com a da coleção do Mc Donald’s, isso se deve ao fato de se questionar ainda a procedência da carne dos hambúrgueres. Assim, para realçar e entrar ainda mais no clima fast fashion, o diretor criativo resolveu colocar as peças à venda nas lojas no dia seguinte ao desfile. + Desfile Moschino

Crítica aos fast foods e aos padrões de beleza no desfile da Moschino

Já os fast foods geram um problema mundial: a obesidade. Levantar essa crítica às passarelas chama muita atenção, principalmente por ser o local onde mais se exige padrões corporais. Assim, esse desfile de Jeremy Scott também foi capaz de revelar os padrões estereotipados do mundo fashion sem nem ao menos deixar que as pessoas notassem sua tamanha crítica ao consumismo, será que notaram? E por fim, quem anseia comprar as peças da Moschino e passa por problemas de saúde, assim como a obesidade, ou até como até mesmo a bulimia e anorexia, irão comprar peças inspiradas em um fast food, só porque são a última coleção lançada? Não faz sentido algum. O qua acham?

moschino

Jeremy Scott e o tal padrão “Anti-moda”

Um dos maiores motivos de Jeremy Scott trazer esta crítica social latente em seus desfiles vem do fato de ter surgido na moda em uma época bem convergente, entre os anos 90 e 00, em que se destacavam os ideias “anti-moda”, em que o importante não era a comercialização e, sim, a livre expressão do que se deseja transmitir com as roupas. E, claro, pelo visto Scott começou muito bem nesta linha. Esses ideias “anti-moda” desprezavam as tais tendências, mas como a anti-moda “pegou”, entrou nesses padrões ou tendências antes detestados e virou algo consumido pela massa, complicado.

Moschino: Coleção Resort 2016

Para continuar com essa crítica ao consumismo desenfreado, a coleção resort 2016 da Moschino carregou detalhes marcantes dessa era como cartões de crédito e etiquetas de promoções como estampas de vestidos. Assim, a ideia é mostrar que as mulheres tornaram-se cada vez mais uma mercadoria, esquecendo o que realmente importa , como o que “se tem por dentro”, e consumindo sem pensar.

moschino-resort-2016-colecao-6-654x9811

Mas a questão é: A Moschino é apenas mais uma grife que depende de outras pessoas consumirem para existir. Parece engraçado Jeremy Scott levar a ideia da diversão e crítica à sociedade na moda sem notar que, se as pessoas começarem a perceber quais são os ideias de suas coleções elas certamente parariam de comprar. Ou ele está pensando que elas “comprariam mais” para entrar nesta causa? Que loucura consumista é esta?
Comentem abaixo!
Beijos
-A

PS: Mila Vieira, juro que não roubei sua coluna, migs!

+ Documentário sobre carreira de Jeremy Scott

Imagens: Reprodução
Compartilhe
PinterestGoogle+Facebook

Categoria:  



// MAIS LIDAS //

Copyright © Drops das Dez 2015